Nova produção de vídeo com idéia que surgiu a partir de ouvir o trabalho de RainBug no site Soundcloud

http://soundcloud.com/rainbug_sounds

 

Ele, que na verdade é Moysés de Carvalho, outro músico amazonense que já tocou em várias bandas locais, uma delas a Soda Billy, e vem desenvolvendo esse trabalho instrumental prá lá de viajante e psicodélico. Tive então a idéia de criar um vídeo com cenas naturais para treinar o processamento de imagens filmadas a 60 fps para posteirior transformação em slow motion (câmera lenta).

Vamos explicar como funciona esse processo, caso alguém ainda não entenda:

Por FPS entende-se frames per second, ou quadros por segundo, levando-se para o português, o vídeo na verdade é uma sequência de fotografias tiradas rapidamente ao longo do tempo. Na TV habitual por exemplo, no nosso caso cuja transmisssão é feita em PAL-M as imagens são geradas a 30 fps, ou seja, a cada segundo de vídeo, são exibidas 30 fotografias em sequência, claro que isso é tão rápido que percebemos a imagem em movimento apenas. Só perto dos 10 a 12 fps conseguimos perceber o movimento em quadros individuais. Animações e games utilizam taxas variáveis que chegam até míseros 15 fps sem comprometer a qualidade da imagem. Curiosamente o cinema tem uma taxa de transmissão menor que a da TV, de 24 fps. Aliás recomenda-se quando for filmar com a intenção de ter um aspecto cinematográfico, que se filme em 24 fps.

Enfim, as câmeras fotográficas de alta-definição do tipo DSLR conseguem filmar a 60 fps, que é o dobro de imagens por segundo da TV e um pouco mais que o do cinema. Se na hora de dar o playback nesse vídeo eu “lentificar” a projeção para atingir 24 fps terei um efeito de câmera lenta suave com redução de mais de 50% da velocidade original. É possível fazer isso filmando em 30 ou 24 fps via softwares como Adobe After Effects ou Twixtor, mas esses softwares vão literalmente “Inventar” frames que não existem, entre uma fotografia A e B eles irão “supor” as imagens intermediárias e vão criá-las. Isso pode funcionar bem em alguns casos, mas com frequência gera aberrações (verdadeiras distorções) no resultado final.

No caso das Super Câmeras de Slow Motion, dessas que fazem essas séries que passam no Fantástico Domingo a Noite. As cãmeras chegam a ABSURDOS 100, 200 e até 500 fps. Quando rodados a 30 fps geral um slow motion nitido que permite que visualizemos até a asinha do mosquito batendo.

Bem é isso…As imagens em camera lenta foram filmadas a 60fps e depois reduzidas para 24fps que é o framerate do video

Tive 3 saídas para conseguir os vídeos, um passeio de barco no rio tarumã (na outra margem), uma ida ao parque do Mindú e uma passeio aqui embaixo do prédio, por incrível que pareça, sempre encontramos coisas interessantes para filmar perto de casa mesmo!!

Abraços e até a proxima.

Anúncios